Planeje o presente e viva o futuro

Por Júlio Sérgio Cardoso

Quando se fala em futuro, onde você imagina estar? Que passos quer dar? O que planeja fazer? Com quanto dinheiro pretende viver?

Se você ainda não pensou em nada disso, está na hora de acordar para a realidade. Ninguém mais vai cuidar do seu futuro do que você mesmo. Independente da sua fase na carreira, da sua situação financeira e da sua idade atual, agora é o momento de pensar em como você deseja viver lá na frente.

 

Nascemos sob uma cultura que impõe 60 anos como idade limite para sermos produtivos. Depois disso, vem a hora de pendurar as chuteiras e a tão sonhada idéia da aposentadoria, como se esse momento fosse o melhor dos mundos. A rotina estressante do escritório, então, é substituída por atividades de lazer e viagens pelo mundo afora. Embora esse cenário seja considerado ideal por muitos, acaba se revelando um grande equívoco.

Passado o período de transição, a sensação é de profunda angústia e depressão pelo vazio. É quando o profissional se vê sem o sobrenome corporativo e aquela agenda de compromissos começa a fazer falta. E muita falta para boa parte dos executivos aposentados. Infelizmente, parece ser um hábito de nós brasileiros não nos prepararmos para o futuro. Futuro que chega muito rapidamente e só aí é que vamos nos dar conta que nossa carreira chegou ao fim.

 Com o aumento da expectativa de vida, a longevidade surgiu como um dos grandes desafios a serem enfrentados. Pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgada em dezembro de 2008, mostra que os brasileiros viverão, em média, até os 72,6 anos. Um acréscimo de cinco anos em relação ao que se previa em 1992. Ou seja, a preparação para aposentadoria deve ser encarada como um projeto estratégico de vida, uma oportunidade para se dedicar àquilo que você sempre desejou. Raras são as pessoas que conseguem definir um plano de carreira quando estão no auge dela.

E sabem por quê? Porque dificilmente têm coragem em reconhecer que a terceira fase da vida um dia vai chegar. É aquela velha história de que sempre acontecerá com os outros e nunca com você. Pode ser o melhor momento da sua vida desde que você planeje desde cedo o que vai fazer. Seja aos 20, 30 ou 40 anos.

O importante é ter consciência de que quanto mais cedo melhor. Você verá que sair de cena será menos traumático do que se imagina. Mas para isso é preciso não pensar apenas no aspecto financeiro, em ter um plano de previdência que garanta manter o mesmo padrão de vida. Acima de tudo, é imprescindível criar um propósito para o pós-carreira. Se para uns a aposentadoria significa o fim, para outros, esse é apenas o começo de uma grande reviravolta. Aqueles que têm um espírito empreendedor enxergam na aposentadoria um passo para projetos mais amplos.

Você pode não ter sido o ator principal da peça que representou durante anos no universo corporativo, mas pode, seguramente, tornar-se o ator principal de sua vida.

 

Julio Sergio Cardozo é CEO da Julio Sergio Cardozo & Associados e professor livre docente da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

 

Site: www.cardozo-group.com